domingo, 6 de dezembro de 2009

algumas coisas vale a pena meditar...

(...) Sou do PSD-sem qualquer ambição a qualquer lugar político/partidário.-Não posso estar mais de acordo consigo!Mas também não posso deixar de referir que este texto se aplicaria a si e à sua comissão política há 4 anos.-O Sr. e as pessoas que o acompanhavam não assumiram a derrota (tb perderam uma Junta) e mantiveram-se agarrados ao partido, quando já não havia unidade-como se veio a verificar.-É verdade que este resultado era esperado, especialemnte na sequência das más ligações de César, mas também pelo trabalho de destruição e descridibilização encetado por alguns militantes do PSD, entre os auqis se encontra a Sr. (falo pelo que vi e li-e basta!)Antes de fazer comentários destes, deveria analisar a sua consciência.-Se defende o PSD e o Concelho, permita a publicação deste comentário-Os homens grandes não nascem grandes, fazem-se. E você ainda poderá ir a tempo...(...)

In Conta Corrente

... eu também considero que ainda pode ir a tempo....

3 comentários:

jorge manuel disse...

então medita
É muito desagradável o contacto com pessoas que apenas visam seus próprios interesses e seu próprio bem-estar, como é o caso do Nuno Alegre. Infelizmente, o nosso mundo anda cheio de gente assim e, saber colocá-las à distância, talvez seja a melhor maneira de agir.
Sabes porque os vermes não podem ter filhos?
Quem és tu para levantares o dedo a alguém?
Sou uma grande coisa …
Tenho o 12.º ano … 20 anos de experiência como estudante na Universidade de Coimbra (só me faltam 12 disciplinas para concluir o curso!!!)
Vivo desde que nasci à conta dos velhotes!
Gastei o dinheirinho dos meus pais para montar uma empresa de recuperação de carroças … o moço que comia e dormia, tal como eu, à conta dos velhotes, fazia o trabalhinho todo, foi-se embora … não aguentei tanta inconsciência! Fechei Imediatamente!
Felizmente os papás é que pagaram tudo … luz, água, obras, máquinas, papinha, dormida, limpeza …
Entretanto tenho continuado a preparar a aposentação, mais umas matrículas na universidade … e já está … parece pouco?
E esta:
Durante os últimos 6 anos gastei o dinheirinho dos meus pais e irmã na abertura de um bar! Sou o seu Gerente, Administrador, Presidente e Director! Felizmente tenho conseguido mantê-lo fechado.
É uma grande trabalheira, não tenho tempo nem disponibilidade para trabalhar no Bar dos Papás … diga-se, há-de ser meu, tal como a Pensão! Espero lá Chegar… estou a dar o golpe final! Os velhos já não vão aguentar muito mais toda a trabalheira que lhes dou, estou a tratar desta questão a tempo inteiro e quase em exclusividade!
Visão estratégica, organização, estudos técnicos de rentabilidade, delineamento …
Esquecem-se que também sou aaalcooóólico, alcoólico?
Até já fui passar umas noites à esquadra da GNR da Mealhada. Que falta de condições. Fui a julgamento e condenado pelos crimes cometidos … continuo a beber com muita consciência! Não sou como os outros!
Nuno Alegre … Nuno Alegre …
Muitas vezes são pessoas como tu que se vestem de uma capa de simpatia, discutem muito e criam demasiados casos; quando se aproximam - geralmente é porque precisam de alguma coisa - fazem-no sempre da maneira mais gentil possível. No momento seguinte, quando já não precisam mais de nenhum favor ou ajuda imediata, desaparecem num passe de mágica.
Torna-se evidente a cara-de-pau e a falta de cerimónia com que aparecem. Talvez, dentro de si, elas nem sempre percebam que seu comportamento acaba sendo notado e às vezes até, ridicularizado pelos outros. A uma certa altura ninguém mais se empenha em atender às suas solicitações, pelo contrário, forçam-se até em não atender, justamente pela mágoa que isso vai gerando. Além disso, torna-se impossível formar laços duradouros, amizades sólidas e afecto verdadeiro. Essas pessoas acabam por se sentir muito sozinhas, pois todos terminam por se afastar e evitam-lhes serem gentis, com receio de serem explorados e sugados, sem contar a mágoa de só serem lembrados nos momentos de conveniência do outro. Essa desconsideração pela pessoa do outro e pelos sentimentos destes, fazem crer que essa pessoa dá a si mesma uma dimensão de importância muito maior do que a percepção da importância do outro.
Na verdade, essas pessoas precisam de ajuda sim; não de favores, mas de uma ajuda a nível emocional, a fim de resolver os conflitos interiores que as levam a se portarem de forma tão prejudicial a elas mesmas.

D'artagnan disse...

É engraçado como a "dor de corno" se revela repentinamente no meio de um comentário de blog... pois é meu caro, "a inveja é mesmo uma merda".

Antes de mais, gostaria de fazer um pedido: não assines como jorge manuel... fica-te mal deixares no ar um nome que se possa confundir.

Já agora... fica-te igualmente mal, não teres a coragem de me dizeres isso que escreves na cara, o que faz de ti apenas um mero garoto hipócrita que se faz de meu amigo... é uma pena que o teu comentário, ao invés de ajudar nalguma coisa, venha penas servir para demonstrares que estás a fazer um exercício de introspecção e a tentar achar um bode expiatório para o teu próprio inssucesso e tristeza.

Quanto ao teor do que escreves, posso responder-te apenas com o facto de "os cães ladrarem e a caravana continuar a passar"... e com o facto de além de estares enganado sobre algumas das coisas, estáres igualmente desactualizado... por exemplo: apesar de já ter sido multado e ficado sem carta, não me recordo de algum dia ter ido a tribunal por qualquer motivo que fosse, mas se tu o dizes é porque deve ser verdade... vá, vai lá ao tribunal onde está esse acontecimento e publica-o aqui no blog, pois pelos vistos sabes (ou imaginas) mais da minha vida do que eu próprio. Mas como é óbvio, não necessito, e muito menos num blog, de justificar, desmentir ou mostrar comprovativos do que quer que seja.

Sou como sou, faço o que faço e gosto de ser como sou com todos os defeitos que tenho mas nos quais não incluo a hopocrisia nem a falta de carácter.

A opinião que as pessoas fazem sobre mim (que espero que não seja a desse rancor contido e encapotado que demonstras) é importante... mas nunca deixarei de dar a minha opinião e de apontar o dedo sempre que achar que o devo fazer, nem deixarei de ter sonhos e de pagar por eles com o meu dinheiro ou o dinheiro da minha família (desde que não seja o teu, penso que nada tens a ver com o assunto... digo eu).

O teu comentário serve apenas para demonstrar uma coisa: afinal sou muito mais importante para ti do que alguma vez sonhei ser.

Um abraço e espero que continues a ser feliz...

a_m disse...

3 palavras:
ai que c*r#lh+..