segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Buçaco na Blogosfera

O tema dos abates destruidores da Mata do Buçaco vai sendo debatido por vários blogs nacionais. Aqui fica o exemplo do Ambio, um blog dedicado ao tema do Ambiente e onde um conhecido conterrâneo nosso, deixou algumas opiniões muito interessantes.

Link para o Post principal e respectivos comentários: http://ambio.blogspot.com/2011/01/responsabilidades.html

à borlix.... vamos todos ao teatro: Vai ser uma Enchente!

"Os bilhetes para a V Gala Desportiva do Município da Mealhada vão estar disponíveis para o público a partir das 10 horas, de segunda-feira, dia 31 de janeiro, nas Piscinas Municipais da Mealhada. Os ingressos, gratuitos, estão limitados à lotação da sala de espectáculos. Como tal, para uma distribuição mais rigorosa, apenas poderão ser levantados dois por pessoa."

in JM

Eu vou!... e tu?

Aula de Gestão: "Princípio de Peter" aplicado à Fundação Mata do Buçaco


"Histórico

Formulado por Laurence Johnston Peter (19191990), antigo professor na University of Southern California e na University of British Columbia, o Princípio de Peter tornou-se famoso com a publicação da obra homônima, de 1969, hoje considerada como um clássico na área da gestão empresarial.

O Princípio

Segundo o autor, nas organizações burocráticas, hierarquicamente estruturadas, os funcionários tendem a ser promovidos até ao seu "nível de incompetência"."

in http://pt.wikipedia.org/wiki/Princ%C3%ADpio_de_Peter


.... O mais engraçado é que este princípio, se aplica em todas as organizações burocráticas e hierarquicamente estruturadas como sejam, empresas, Governos, Partidos Políticos, Câmaras Municipais, Fundações, etc....


.... apliquem-no livremente, e vão ver que explicam muitas coisas, nomeadamente, como é que alguém pode fazer um óptimo trabalho numa determinada função e, de repente, ao ser promovido, tornar-se aparentemente num desastre.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Buçaco a saque?


Buçaco a saque?
A ideia era só abater pinheiros secos e acácias, na mata. Com eles, caíram espécies protegidas e outras raras.

Joana Fillol (texto) e Reuters (foto)
16:07 Quinta feira, 27 de Jan de 2011


No século XVII, o Papa Urbano VIII ameaçava com excomunhão quem cortasse árvores no Buçaco. A medida espelha a importância que já então tinha o bosque, cedido em 1626 aos carmelitas descalços pelo bispo de Coimbra. Hoje, conta mais de 250 espécies vegetais diferentes.
O que se passou para que espécies protegidas (como azevinhos e sobreiros) e outras raras (como medronheiros e gilbardeiros) fossem cortados? Jorge Franco, presidente da Fundação Mata do Buçaco (criada em março de 2009, para gerir de forma integrada o património natural e edificado), não consegue explicar. "Demos sequência a um Plano de Ordenamento e Gestão da Mata (elaborado por técnicos da Universidade de Aveiro, a pedido da Fundação) que previa o corte de 107 pinheiros secos e infestantes como acácias..."
A VISÃO visitou o local, com Domingos Patacho, da Quercus, e comprovou que o abate excedeu em muito o previsto. "É o chamado abate destrutivo. As marcas de rodas gigantes comprovam a entrada de maquinaria pesada", nota o engenheiro florestal, ante a grande clareira aberta ao lado da Porta do Serpa. O trabalho, considera, não poderia ter sido entregue a um madeireiro. "Isto é uma mata, não um pinhal. O corte deveria ser feito por homens com motosserra e os troncos extraídos com um cabo de aço."
Em vez de desmontadas, as árvores (algumas de grande porte) foram cortadas pela raiz, destruindo, na queda, outras cujo corte não estava previsto. Vê-se um Cedro-do-Buçaco totalmente mutilado, Cedros-do-Atlas estropiados, azevinhos cortados pela raiz e ramos soltos espalhados entre a vegetação cortada. Perto do Cruzeiro do Conde da Graciosa, de 1861, também ele danificado pelas máquinas, há uma nova clareira, um sobreiro e um carvalho cortados pela raiz.
As clareiras, explica Patacho, favorecem as invasoras. "As acácias pequeninas, apanhando muito sol, crescem mais e vão fazer sombra às plantas autóctones, impedindo o seu desenvolvimento." Jorge Franco garante que o engenheiro florestal da fundação acompanhou os trabalhos. Não terá sido suficiente...

in:http://aeiou.visao.pt/bucaco-a-saque=f587673

sábado, 29 de janeiro de 2011

Para Acabar com a "porrada" entre PS e PSD debaixo da desculpa de um torneio de futebol...


"Júlio Penetra, vereador da Câmara Municipal da Mealhada responsável pelo pelouro do Desporto, reuniu, na passada sexta-feira, 21 de Janeiro, com os oito presidentes das Juntas de Freguesia do concelho a fim de debaterem o modelo do Torneio Inter-Freguesias do Município da Mealhada que, no ano de 2010, realizou a sua quinta edição. "(...)
"(A) autarquia pondera “realizar um evento só para as freguesias que queiram participar"


.... Presume-se que a(s) freguesia(s) PSD irão(irá) pensar duas vezes... ou então vão(vai) contratar o Calica para guarda-redes e o Carlos Abóbora para "trinco". (parece que Asterix, Obelix e outros malucos já terão sido contactados, mas terão declinado, para já, contratações milionárias)

in JM

Um dia para remover espécies infestantes.... presume-se que não estavam a falar apenas de árvores....



"Formação?... não é preciso ter formação!... nós temos aqui técnicos que Orientam!"

(ainda bem... senão a desgraça era ainda maior!)

Clube Desportivo do Luso teve ordem de despejo

(foto roubada do perfil de facebook do Sr. Oscar Carvalho)

O Clube Desportivo do Luso, como todos os clubes do Mundo (português) parece ser um exemplo de boa gestão sendo, de certeza, esta ordem de despejo, mais uma injustiça do sistema ou uma revanche capitalista do dono do imóvel..... digo eu...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Aula de Gestão: O TURISMO....!.... (local)


A primeira pergunta sobre turismo ou a sua necessidade, passará sempre pelo tema do incómodo causado: porque havemos de ser incomodados por uma cambada de tansos, que nos invadem os nossos espaços públicos, armados com uma máquina fotográfica ou uma Cam-corder ? .... Estávamos tão sossegados na nossa vidinha e agora, passamos o tempo a ser incomodados por estes palermas que nem português conseguem falar!.... Não há paciência!

Pois é! Por ridículo que pareça, é o dinheiro que esses "tansos" deixam nos nossos hotéis, restaurantes, táxis, lojas, aeroportos,"gift shops", etc, que faz com que tenhamos paciência para os aturar....Somos uns vendidos!... Uns vendidos com "pinta", mas ainda assim, uns vendidos (para não lhe chamar coisa pior).

Ao contrário de outras actividades económicas, a actividade turística, é uma actividade virtuosa e "quase" sem inconvenientes... desde que estejamos habituados a lidar com pessoas estranhas que invadam a nossa privacidade e os nossos espaços (isto é válido para tudo, inclusive para a argumentação política). Se a democracia é a face tolerante da gestão do trato humano (a que chamamos liberdade política), o turismo é a face tolerante das relações económicas.

Mas há um problema.... o turista é normalmente uma pessoa mais viajada e esclarecida que o "visitado", o que resulta em alguma dificuldade em lhe "impingir" bugigangas, recuerdos, ou bilhetes de entrada, para coisas que no final possuem um sabor a "fraude". Com o advento da Internet, não há nada pior que má publicidade ou imagens de amadorismo, como as que tantas vezes proporcionamos a quem nos visita.

Quem, em primeiro lugar, sofre as consequências (positivas ou negativas) das acções tomadas sobre o turismo, são as unidades hoteleiras em sentido lato e os hotéis em sentido estrito, já que são eles que levam "a parte de leão" do orçamento de qualquer turista e, por isso mesmo, são eles que tendem a pagar a profissionais mais competentes e em apostar mais em formação de topo, no sentido de criar atractivos para um local que sejam DE FACTO comercializáveis... ou seja ... dêem LUCRO (finalidade desde sempre da actividade turística, por mais que isto doa ao pessoal da esquerda radical). Mas este "dar lucro" não é o da exaustão dos recursos existentes, mas o da maximização da utilização dos mesmos, criando motivos de distinção do produto relativamente a outros locais concorrentes. O objectivo é o de conseguir, à custa do dinheiro dos turistas, uma ajuda ao financiamento de conservação das coisas que nos causam prazer, ou seja, do nosso património. Os turistas são assim, um "mal necessário" aos olhos de muita gente e, um "nem-bem-nem-mal necessário" à vista da maioria dos agentes económicos esclarecidos.

Qualquer plano de desenvolvimento de qualquer património nacional, seja ele edificado, natural, cinegético, gastronómico ou cultural, passa necessariamente pela elaboração de planos de viabilidade económica que entrem em linha de conta com o factor "turismo" e com o factor "dinheiro do turismo" e, não se compagina com a gestão de ciclos políticos locais, que se revelam (quase sempre) danosos ao património (a curto e longo prazo).

Se estamos doentes, vamos ao médico; se queremos uma casa, contratamos um arquitecto; se queremos comer, contratamos um cozinheiro.... o que é que é difícil de entender neste raciocínio?

Se queremos uma política de turismo que funcione (no Concelho da Mealhada, no Luso e em especial no Buçaco) e que possa funcionar como uma mais valia financeira na conservação do património e no bem estar das populações, há que entregar a gestão desse assunto a gente que saiba (já que toda a gente tem a "mania" que nasceu a perceber de turismo, apesar de nunca ter saído do seu vão de escada).

Em todas as situações que conheço, a contratação de profissionais e não de "boys for the job", sai mais barato a todos... EM TODOS OS SENTIDOS!

Espero que não se esqueçam disto, da próxima vez que colocarem a vossa cruz num boletim de voto. Se se esquecerem, eu relembro-vos na altura das eleições!... Está prometido!

Touché.....

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Casa arrombada, trancas à porta.... e a SAL a acudir quando já não há mais ninguém a quem recorrer...


.... resta saber, quais os custos políticos, que a Sociedade das Águas de Luso e a Central de Cervejas vão (naturalmente) impor, por terem ido ajudar de "urgência" a salvar uma "borrada" generalizada. Mais algum tempo e a SAL habilita-se seriamente a ser chamada (outra vez de urgência), para ir replantar os vinhedos dos produtores que participam noutro grande programa de sucesso turístico concelhio, como é o caso das Quatro Maravilhas do Concelho da Mealhada (água, pão, vinho e leitão)... nada como ter uma conduta de inox a atravessar a via pública concelhia para aumentar logo a vontade de colaboração.

Nesta foto:

- Engª Anabela Bem-Haja Saraiva (Técnica na área florestal - Fundação Mata do Bussaco)
- Engº António Jorge Franco (Presidente da Fundação Mata do Bussaco)
- Drª Filomena Batista Pereira Pinheiro (Vice Presidente da Câmara Municipal da Mealhada)
- Sr. Júlio Penetra (Vereador da Cãmara Municipal da Mealhada)

É igualmente de louvar que o PS-Mealhada se mantenha unido e que as duas facções, a de Carlos Alberto da Costa Cabral e a de Rui Leal Marqueiro, estejam representadas ao mais alto nível nestas iniciativas, demonstrando a sua concordância e aval sobre as iniciativas da FMB.

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Comunicação FMB - DOMINGOS NA MATA - Mata Nacional do Buçaco

Bom... sobre o evento, é uma iniciativa destinada à animação local, destinada mais uma vez ao público dos concelhos vizinhos e destinada à propaganda política local, visando a publicitação de eventos criados pelo PS-Mealhada ou a ele atribuíveis, piscando mais uma vez o olho às próximas autárquicas.... e não tendo, de todo, qualquer preocupação de criação de um programa turístico sólido, coerente e que possa constituir factor de distinção, da nossa região, face às restantes... enfim... quem te manda a ti sapateiro, tocar rabecão....

Quanto à comunicação em si, veio elaborada com um "Para" aberto e sem restrições destinado a 266 e-mails em simultâneo que, desde já agradeço, pois sempre que pretender alertar estas 266 pessoas sobre os problemas da mata, passo a dispor de um veículo directo.

Só quero com isto demonstrar o nível de conhecimentos "de facto" e de profissionalismo que os supostos especialistas em comunicação da Fundação Mata do Bussaco possuem... e sabem quem lhes paga????... adivinhem se puderem?!

Naturalmente que, a culpa pode sempre atribuir-se ao especialista em si, mas as pessoas habituadas a chefiar organizações identificam o responsável no seio das chefias que o contrataram.... ou será que estou enganado?

Já agora, aproveito para partilhar com vocês a referida lista de e-mails. Aproveitem, já que é púb lica:

a.pedroso.marques@ctt.pt ; a_goncalves_3@hotmail.com ; adulai67@hotmail.com ; af.baixovouga@sapo.pt ; afilantropica@gmail.com ; ah.barril@gmail.com ; aifazendeiro@gmail.com ; alexandragois@gmail.com ; alexandre.jose.costa@cgd.pt ; alinaimduarte@gmail.com ; aluzio@sapo.pt ; amaralpj@sapo.pt ; americo@moveispascoa.pt ; anabelaadonis@madrp.gov.pt ; anag@ua.pt ; anaksilva@gmail.com ; andrew_morais@hotmail.com ; angelo.sa@cm-borba.pt ; anibalgomes@hotmail.com ; antonio.f.ribeiro@sapo.pt ; antonio.rocha@almeidahotels.com ; antoniopita@cm-mealhada.pt ; antonioselas@sapo.pt ; antpratas@gmail.com ; aristides.lourenco@ccdrc.pt ; armenio.simoes@iol.pt ; aurelio.guerra@sapo.pt ; balsa.joana@gmail.com ; banguito@gmail.com ; benjamim.almeida@sapo.pt ; braulio.baptista@sapo.pt ; brito.moveis@sapo.pt ; brunogolfinho2@hotmail.com ; bussaco@almeidahotels.com ; camaleao.ac@gmail.com ; camiloaac@gmail.com ; canrodrigues@gmail.com ; carla.cereja@gmail.com ; carlapereirafernandes@gmail.com ; carlos-m-gomes@telecom.pt ; carlos.g.godinho@gmail.com ; carlos.vent@netvisao.pt ; carlosbrunofranco@sapo.pt ; carlosgarciabouzas@hotmail.es ; carlosrodrigues@azura.pt ; carlossilvas2@portugalmail.pt ; catarinarfmarques@gmail.com ; ccavaleiro@te.pt ; cduarte@fmed.uc.pt ; cfluso@inatel.pt ; cfonseca@bio.ua.pt ; claudia.rosa.pires@gmail.com ; claudvale@gmail.com ; clientes.sofinloc@finantia.com ; clunyvox@gmail.com ; cma.dvm@gmail.com ; cokysilva@clix.pt ; conceicaomidoes@rcpfm.com ; cphonseca@gmail.com ; cris_luso@sapo.pt ; crisar@sapo.pt ; cristina.areias@ipj.pt ; cristina.azevedo@rotadabairrada.pt ; cristina.freire@dgtf.pt ; cscmpimenta@gmail.com ; cscnslurdes@portugalmail.pt ; cunha2404@gmail.com ; daniela.barata@hotmail.com ; danielasfsantos@hotmail.com ; danieledusantos@gmail.com ; danilapas85@hotmail.com ; diogoribeiro@arqinmove.com ; dionisio.mendes@cm-coruche.pt ; dn_henriques1975@hotmail.com ; dom-das@cm-mealhada.pt ; doraagante@gmail.com ; duarte.abecasis@gpcb.pt ; dulce.figueira@hoteluso.com ; eduardo.bernardo@libertyseguros.pt ; edvonems@gmail.com ; emilialobogomes@gmail.com ; estela.pereira@giscon.pt ; eugenia.correia@cm-cadaval.pt ; eugeniacorreia5@hotmail.com ; eunicepimenta@sapo.pt ; familia_seabra@hotmail.com ; fcmacau@netcabo.pt ; fer_rodrigues@iol.pt ; fernanda.henriques@acic.pt ; ferreira.aluisa@gmail.com ; ferrercorreia@mail.telepac.pt ; filipa.sieuve@santafe.com.pt ; filipe.iobom@gmail.com ; filobranco@gmail.com ; fmacaetano@gmail.com ; fmendonca.ps@gmail.com ; foliveiramiguel@gmail.com ; frederico.miguel.santos@gmail.com ; frederico.zv@zonaverde.pt ; gae@cm-cartaxo.pt ; gasparalbino@gmail.com ; gbatista@marvoense.pt ; genesis.lar@genesis.pt ; geotecnicadaria@gmail.com ; geral@fernandomendonca.org ; giselafgf@gmail.com ; goncaloangeja@gmail.com ; goncalocabral76@hotmail.com ; goulart.rita@gmail.com ; grinanda@sapo.pt ; guida-marques@hotmail.com ; guidagmariano@hotmail.com ; guilaranjo@gmail.com ; guilhermecamposduarte@gmail.com ; hansel.gretel14@gmail.com ; hugo_estrompa_@hotmail.com ; hugomjuliao@gmail.com ; humberto.ratado@cm-borba.pt ; i.alexandra.cruz@gmail.com ; imsantos14@gmail.com ; inespdmarques@yahoo.com ; iris_pessanha@hotmail.com ; isabel.lico@apambiente.pt ; isabelmmcosta@sapo.pt ; iseabra@link-ware.com ; j-bento@sapo.pt ; j-sant@netvisao.pt ; jacques.lardy@neuf.fr ; jafsantos@sapo.pt ; jasilva@dgsp.mj.pt ; jcanasantos@gmail.com ; jfmouradaserra@gmail.com ; jfvca@net.sapo.pt ; jlopesvalverde@sapo.pt ; jmfelgueiras@gmail.com ; jmnoras@mail.telepac.pt ; joana.carrinhas@min-agricultura.pt ; joaquim.a.marques@sapo.pt ; joliveira@ua.pt ; jorgecamposcarvalho@hotmail.com ; JorgeFG@inditex.com ; jorgemendes@acic.pt ; jorgepires.vip@gmail.com ; jose.arruda@gmail.com ; Jose.MOURA@agualuso.pt ; jose.pinto@cm-lamego.pt ; josecarlos@cm-almeirim.pt ; josevieirapt@gmail.com ; jproenca.ige@gmail.com ; juditemendes@7maravilhas.pt ; julio.manuelnunes@gmail.com ; juliopenetra@cm-mealhada.pt ; juliopenetra@sapo.pt ; katiuska.cruz@gmail.com ; kebrostress@hotmail.com ; lbredax@gmail.com ; lcalha@cm-palmela.pt ; lfrodrigues@sapo.pt ; lidia_r_dias@hotmail.com ; lievetobback@hotmail.com ; limaraul@sapo.pt ; luisaramos.crick@gmail.com ; luisbrandao@aleluia.pt ; luismiguelbrandao@gmail.com ; luismpsimoes@gmail.com ; luisprof@netvisao.pt ; luissimoes@cm-mealhada.pt ; luistovim@gmail.com ; lurdesbastos@hotmail.com ; lusobussaco@sapo.pt ; Mafalda.SOARES@centralcervejas.pt ; maia@pintoevital.pt ; manuel.almeida@live.com.pt ; manuel_costaeoliveira@hotmail.com ; maquaresma@gmail.com ; marcosantiago@inbox.com ; margarida_tomas@cm-loures.pt ; mariatrindadefernandes@gmail.com ; marina_camilo@hotmail.com ; marinela.cercimira@mail.telepac.pt ; mariomontes@cmpr.pt ; martacristinapessoa@yahoo.com ; mcpedrocbr@gmail.com ; mdestrompa@hotmail.com ; messiasbaptista@cavesmessias.pt ; mguilherme@cm-palmela.pt ; miguel.gois@cm-beja.pt ; miguelgalante@madrp.gov.pt ; mlfernandes@rtsn.pt ; morais.jcc@gmail.com ; nautico@vilagale.pt ; nfveiga@gmail.com ; ni__5@hotmail.com ; nilcecarvalho@hotmail.com ; noemia.calado@agualuso.pt ; nomeados@7maravilhas.pt ; npmagalhaes@centralcervejas.pt ; nuno.nossa@diariocoimbra.pt ; paislirica@hotmail.com ; patricia.almeida@fucoli-somepal.pt ; paula.simoes@ipleiria.pt ; paulacristinaleal@sapo.pt ; paulobat34@gmail.com ; pazinquieta@gmail.com ; pazvalente-2344c@adv.oa.pt ; pcaldas@cm-cartaxo.pt ; pedro.simoes@jb.pt ; pedro@carmelitas.pt ; pedro_santos_2@hotmail.com ; pedrocrebelo@gmail.com ; pedrosantos_25@hotmail.com ; pgpereira@ua.pt ; praxisd@praxisd.com ; presidente@jfsarzedo.com ; proma@iol.pt ; pspsilva@hotmail.com ; renatopauloduarte@gmail.com ; ricardo-ramos@telecom.pt ; rita.soares14@gmail.com ; ritapereira276@gmail.com ; rogerioalmeida@cm-mealhada.pt ; rui.goncalves@academica-oaf.pt ; ruigomesdias@sapo.pt ; ruivrb@gmail.com ; sandra.arrojado@hotmail.com ; sandro.norim@gmail.com ; santanajrg@gmail.com ; saracosta@madrp.gov.pt ; sementi_lunatic@hotmail.com ; sidonio.pardal@sapo.pt ; sindicatodosturistas@gmail.pt ; sofiapedro12@gmail.com ; sonia_margarida_rodrigues@hotmail.com ; soniamidoes@gmail.com ; soniapampa2@hotmail.com ; spyro@dazzledminds.net ; susanaoliveira@cm-mealhada.pt ; svitlanabaylo@hotmail.com ; sylvie.gomes@gmail.com ; taniarodrigues_21@hotmail.com ; teixeira.mariateresa@gmail.com ; telmaipc@hotmail.com ; teortet@gmail.com ; teresa.monteiro@turismodeportugal.pt ; tgamabrandao@gmail.com ; tiago.angelo@gmail.com ; tonyluis.aniluis@gmail.com ; vgertrudes@cm-arruda.pt ; vilar.franco@me.com ; viriato.dias@turismodocentro.pt ; vitor.domingues@moviflor.pt ; vitor.ronin@gmail.com ; vitor.varejao@cm-santarem.pt ; vmonteiro@inatel.pt ; xavier.beatriz@gmail.com ; zemaximino@gmail.com ; abrantescruz ; anacastro@cm-mealhada.pt ; anamar_april@hotmail.com ; beatriz.smm@gmail.com ; betacorreira85@gmail.com ; bruno_anadia@hotmail.com ; Cristiano Teixeira_Informática ; Fernando Parreira ; Gabriel Trindade ; Helena Mergulhao ; indyama@hotmail.com ; Jeremias Carmelita ; maltalcina@hotmail.com ; manuela soares ; Milene Matos ; nunopaulopinto ; paulajacob ; pit_uxa69@hotmail.com ; Rita Pereira FMB ; rita.icmarques@gmail.com ; simoesoliver1@hotmail.com

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A Engenheira Anabela Bem-Haja tem ou não interesse em esclarecer a sua situação?

Para quem não saiba, o técnico na área florestal ao serviço da Fundação Mata do Bussaco chama-se Engª Anabela Bem-Haja Saraiva e foi contratada pela Câmara Municipal da Mealhada (inicialmente), prestando actualmente serviços no Buçaco no âmbito da posição que a Câmara detém na Fundação. Posição detida pela Câmara que lhe deu, aliás, a possibilidade de eleger um seu anterior vereador (o Engenheiro António Jorge Franco) como actual presidente da Fundação. A técnica, foi contratada no âmbito de um protocolo com o centro de emprego e formação profissional, sendo 50% do seu ordenado pago pela Câmara Municipal e os restantes 50% pelo centro de emprego.

Uma rápida pesquisa pela net permitirá identificar os diversos concursos públicos em vários Municípios da Região aos quais se candidatou e quais as suas classificações (acima da média), que infelizmente não foram altas o suficiente para conseguir ganhar os concursos.

Ver por exemplo:
http://dre.pt/pdf2sdip/2010/03/049000000/1134311343.pdf

http://dre.pt/pdf2sdip/2009/12/237000000/4976149761.pdf

http://figueiradigital.ficheirospt.com/municipe/rh/2010-10_la_florestal.pdf

http://www.cm-cantanhede.pt/dataimages/p_18785listadeadmitidosexcluidosemarcacaodeprovas2.pdf

http://www.cm-cantanhede.pt/RecursosHumanos/Docs/Files/Eng.%20Florestal%20-%20Lista%20Definitiva%20em%20sede%20de%20avalia%C3%A7%C3%A3o%20curricular.pdf

Não querendo entrar pela área técnica, fazendo qualquer apreciação sobre o seu trabalho de supervisão na Mata Nacional do Bussaco, nomeadamente nas questões que têm sido debatidas neste blog, parece-me que haveria vantagem por parte da Srª Engenheira em esclarecer publicamente o seu processo de contratação, uma vez que tem laços familiares directos (é nora) com o Sr. Presidente da Câmara Municipal da Mealhada, Dr. Carlos Cabral.

Naturalmente que, nestas situações, a menos que todo o processo seja claro e público, pairará sempre uma desnecessária suspeita de favorecimento familiar e tornará a referida Técnica, numa "porta de entrada" para todos aqueles que queiram acusar o senhor presidente da Câmara Municipal da Mealhada de ceder a pedidos de "cunha". Conhecendo a "verticalidade" do Sr. presidente Carlos Cabral e da restante equipa, tenho a certeza que não terá sido esta a situação, mas tenho igualmente a certeza que paira uma quantidade razoável de dúvida para que a população se pergunte sobre tudo isto.

Considero assim, que sendo paga por financiamento público e trabalhando na "coisa" pública, é de todo o interesse da Srª Engenheira, esclarecer o seu processo de contratação de modo a salvaguardar, nomeadamente, a posição pública do seu sogro e dissipando de uma vez por todas , todas as suspeitas que possam pairar sobre o seu processo de contratação.

domingo, 23 de janeiro de 2011

As encomendas para limpar a imagem da Fundação

Já começaram as encomendas para limpar a imagem da Fundação depois da vergonha que tem sido a sua actuação, sobretudo no plano da Gestão Florestal da Mata.
Este link leva-nos até um blog sobre ambiente muito visitado nacionalmente onde um tal de Luís Jordão, de uma empresa que se chama "Verdes Paisagens", tenta sacudir a água do capote da Fundação, começando por dizer que as coisas são pintadas pior do que parecem e que não é assim tão grave etc.

http://ambio.blogspot.com/2011/01/responsabilidades.html

Peço-vos que leiam o comentário que deixei neste blog (e que transcrevo de seguida) e ficarão a perceber o sentido do titulo que dei a este post e as reais motivações deste súbito defensor da Fundação e da sua empresa.
Para mim, claro como a água.

É lamentável... simplesmente lamentável. Como é possível que alguém venha dizer que os sobreiros não devem ser fonte de preocupação porque há muitos na bairrada E os azevinhos de porte centenário? E as leis de protecção destas espécies? Se calhar então será legítimo matar garças vermelhas na Ria de Aveiro porque lá existem várias colónias.
Depois temos os excertos do Plano de Ordenamento realizado pelo Arquitecto Nuno Lecoq, em colaboração com a Universidade de Aveiro para a Autoridade Florestal Nacional. Trata-se de um trabalho meramente académico, sem valor enquanto documento norteador já que possui enormes erros, afirmações e lacunas muito questionáveis, fruto de uma execução singular e de vício de raciocínio de alguém que nada sabe de gestão florestal, muito menos de matas como Buçaco.
Finalmente, seria interessante que Luís Jordão esclarecesse que a sua posição e súbito interesse pelo Buçaco (afinal de onde é que apareceu?) surge apenas e só pelos interesses económicos da empresa Verdes Paisagens na Mata do Buçaco. Diga lá por favor, quanto é que o senhor e a sua empresa vai facturar se a candidatura LIFE que elaborou para o Buçaco, for aprovada. Já agora, diga quais os montantes que estão envolvidos no negócio entre a sua empresa e a Fundação Buçaco na organização da iniciativa "Domingos na Mata", com visitas pagas pelos participantes.
Sejam honestos, deixem o mercantilismo do ambiente em segundo plano quando o que está em causa é a sobrevivência de um espaço mítico como é o Buçaco. Ainda há-de dizer aqui, que trabalhos relevantes fez sobre o Buçaco, quantas vezes lá vai por ano, há quantos anos lá não ia antes destas negociatas e, já agora, se para ir ao S. João do Deserto, é melhor ir pela Cruz Alta ou pela Porta das Lapas....

sábado, 22 de janeiro de 2011

Não me digam que a QUERCUS é um denunciante anónimo que também deu uma facada nas costas dos seus amigos???



"(...)Parece-nos que da parte da Fundação houve uma demonstração inequívoca de falta de acompanhamento da intervenção do abate das árvores, o que era da sua responsabilidade.

 Este caso é bem representativo da falta de cuidado das entidades que fazem a gestão do património florestal português. Pelo que sabemos, vamos assistindo é à contínua degradação da nossa floresta, com os responsáveis falando da sua preocupação em fazer uma boa gestão, mas depois, não fiscalizando a aplicação da legislação e, pior que isso, não dotando as entidades públicas com os meios financeiros necessários a uma gestão florestal responsável.

(...)"

Noticia Completa aqui

"Miguel Ângelo" foi o grande vencedor do I Raid


Até teria piada se tivesse sido feito de propósito....

Para quem não sabe, o "Miguel Ângelo" é o nosso TIAGO ÂNGELO... ena!

E o "nosso" Tiago Ângelo tem demonstrado ao longo de uma série de anos (não é um fotografo de algibeira nem um bacoco que comprou uma máquina descartavel num sítio qualquer), que sabe tirar fotos e que é um apaixonado pelo Bussaco desde sempre.

O "nosso" Tiago Ângelo faz parte da Junta de Freguesia do Luso e é especialista em formação e... adivinhe-se... comunicação!... e deve ter partido o côco a rir quando viu que nem o nome do vencedor do raid, os especialistas em comunicação da Fundação Mata do Buçaco, souberam escrever.

É triste, o amadorismo com que se continuam a fazer coisas no Buçaco para depois ainda terem o desplante de se fazerem de vítimas.

Há coisas que nem ao Diabo lembram...

SAL PARTICIPOU NA LIMPEZA E REFLORESTAÇÃO DA MATA DO BUSSACO COM TODOS OS SEUS COLABORADORES


A Sociedade da Água de Luso, S.A. (SAL) participou numa acção de limpeza e reflorestação da Mata do Bussaco, que se realizou hoje, dia 21 de Janeiro, com início ás 8h30m nesse local, e que contou com todos os Colaboradores da empresa, que assim ofereceram um dia de trabalho ao serviço da Comunidade.

O objectivo desta iniciativa da Fundação Mata do Bussaco foi efectuar a limpeza e reflorestação de uma área específica da Mata Nacional do Bussaco, através da remoção de espécies infestantes e da sua substituição por plantas autóctones, com especial destaque para azevinho, diversos carvalhos nacionais, cedros do Buçaco, castanheiros e sobreiros.

Com esta acção, que contou com o apoio da Fundação LUSO e da Fundação Floresta Unida, procedeu-se á limpeza de uma área superior a 30.000 m2 , onde foram plantadas cerca de 1.200 árvores.

Esta "guerra" e outras sobre o Bussaco (ou Buçaco)


Bom... só sendo cego ou surdo (ou as duas coisas) é que alguém não desconfia que se passa alguma coisa de grave no "nosso" Buçaco.

Responde-se com pretensa indignação ao facto de as pessoas se esconderem atrás do anonimato para denunciar o que está errado... mas não se questiona a verdade e sim a forma como surge.

A política é mesmo uma meretriz barata e sem água no bidé... o que numa terra de água como é o Luso, me parece uma falha ainda mais grave, por mais que Sociedade da Água de Luso ou a Central de Cervejas queiram colaborar na reflorestação.

Está mais do que visto que a Fundação Mata do Bussaco deve ser demitida em bloco (podem dizer que fui eu que disse isto - e não é um comentário anónimo!)

Se era para isto, não valia a pena ter-se feito nenhuma Fundação de vão de escada. As asneiras dos gajos de Lisboa que afundaram igualmente o "nosso" Portugal, já eram mais do que suficientes para isso.

Merda de País, em que toda a gente se refugia na política para esconder a sua clara incompetência...! (perdoem-me o palavrão)

E VOLTO A AFIRMAR: Fui eu que escrevi isto com este heterónimo... não é nenhum comentário anónimo!

Se quiserem, posso começar a publicar e-mails oficiais que tenho em arquivo e que demonstram claramente aquilo que estou a dizer. Não me irritem porque de repente posso "pôr a boca no trombone" e pode começar a chover mais do que é preciso.

Agora é a minha vez de me demonstrar agastado, como um certo candidato a umas eleições tão brilhantes como o país que as alberga e,.... dizer aos berros: "TEM DE RESPONDER!"... ou só quando é para massacrar o Cavaco é que a verdade é importante?

Touché...

Lição Bussaco

Peço a todos que ouçam com a maior atenção.

“Buçaco
21 JUN 08
Nesta edição vamos de visita ao convento dos frades carmelitas descalços, à mata nacional e ao Palace Hotel do Buçaco. Acompanham nesta visita os historiadores de arte António Filipe Pimentel, pró-Reitor da Universidade de Coimbra, Raquel Henriques da Silva, professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, José Meco, especialista em azulejaria e o biólogo Jorge Paiva, professor jubilado da Universidade de Coimbra.”



link:http://www.tsf.pt/programas/programa.aspx?content_id=918070&audio_id=959796

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Jornal de Notícias - Buçaco

GNR investiga abate ilegal de árvores na Mata do Buçaco
Denúncias apontam para o corte de sobreiros e azevinhos
00h32m

O Núcleo de Protecção Ambiental da GNR de Anadia está a investigar o denunciado abate ilegal de espécies como sobreiros e azevinhos na Mata Nacional do Buçaco, Mealhada, matéria também alvo de um inquérito interno pela fundação que gere o espaço.

"Estamos a averiguar, em conjunto com outras entidades, denúncias de abate ilegal de árvores, nomeadamente sobreiros e azevinhos", explicou à agência Lusa o comandante do Destacamento da GNR de Anadia, capitão Paulo Serra.

As denúncias, adiantou, foram recebidas através da Linha SOS Ambiente, do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) no final de 2010 e no início deste ano.

João Paulo Pedrosa, presidente da direcção do Núcleo de Coimbra da Quercus, disse à Lusa que receberam denúncias, acompanhadas por fotos, de corte de espécies protegidas - sobreiros e azevinhos - tendo depois constatado o abate ilegal no terreno.

"Apresentámos a situação ao SEPNA. Não fizemos a contabilidade [das árvores cortadas ilegalmente]", referiu, adiantando que este abate terá acontecido durante uma intervenção para erradicar exemplares de espécies não protegidas. João Paulo Pedrosa frisou que a Quercus pretende que sejam apuradas as responsabilidades e salientou que "uma intervenção na mata, terreno de interesse público, tem de ser feita por profissionais".

O presidente do conselho de administração da Fundação Mata do Buçaco, a entidade que gere o património do espaço, disse à Lusa que está em curso um inquérito interno "para averiguar se foram danificadas algumas espécies ou não", embora adiante que, com os dados de que dispõe actualmente, "não há nada que comprove que houve crime ambiental".

António Jorge Franco explicou que, no âmbito do plano de gestão da mata, foram cortados pinheiros bravos e acácias, "que estavam a secar, a contaminar e a pôr em perigo" outras espécies.

Este trabalho foi "entregue a um madeireiro que diz não ter abatido espécies protegidas", concluiu.


Reflexões: Sr. Eng.º António Jorge, o senhor disse em várias entrevistas que o trabalho do madeireiro tinha sido supervisionado por técnicos da Fundação. Afinal "o madeireiro diz não ter abatido espécies protegidas". Então ficamos no que diz o madeireiro? Houve supervisão ou não? Os técnicos que supervisionaram não dizem nada também?

Estou mesmo a ver o filme: contrataram o madeireiro que deu mais dinheiro, não se preocuparam em perceber que equipamento seria utilizado, qual a formação/conhecimentos para trabalhar nestes espaços e foi soltar a fera dentro do redil. O Sr poderá tentar sacudir a água do capote com todos os argumentos esfarrapados que entender (desde dizer que não houve azevinhos cortados, até atribuir o trabalho a algo que estava escrito num documento ACADÉMICO e de visão reduzida, feito pela Universidade de Aveiro) mas na verdade só lhe aceito uma justificação: o senhor e toda a sua equipa falharam escandalosamente porque, tal como o madeireiro que contrataram, aquele tal que "OFERECEU MELHORES CONDIÇÕES" (entenda-se, mais dinheiro), os senhores também não têm qualquer formação ou conhecimentos para trabalhar, e muito menos gerir, este tipo de espaços.
A gestão da mata é feita à sorte, ao sabor da maré, sem programação e sem estratégia e vê-se nas pequenas coisas. Desafio-o a explicar, por exemplo, porque é que hoje, dia 21 de Janeiro, um mês depois, ainda se encontra ao lado do Palace Hotel, um hotel de 5*****, aquele monte de lenha vergonhoso que o senhor queria acender na noite de Natal. Será que já está à espera do Natal de 2011?

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Má gestão da Mata Nacional do Buçaco é notícia

A QUERCUS emitiu hoje um comunicado nacional sobre o abate catastrófico de arvoredo na Mata NAcional do Buçaco. Ao contrário do que refere António Jorge à comunicação social, a QUERCUS confirma o abate de Azevinhos (alguns de grande porte), Sobreiros e Medronheiros.
Para mais detalhe, basta consultar o seguinte link: http://florestadointerior.blogspot.com/2011/01/azevinhos-e-sobreiros-destruidos-na.html

Também a revista visão publicou hoje, na sua edição semanal, um artigo sobre este assunto (pág. 72) cujo título é bastante elucidativo: "Buçaco a Saque?". Não deixa de ser curiosa a relação estabelecida pela Visão sobre a Bula Papal de Urbano VIII que ameaçava de excomunhão quem cortasse árvores na mata, com a situação presente de incúria, incompetência e irresponsabilidade por parte de quem recebeu esta herança, pesada, mas inestimável.

O próprio site da Visão, apresenta uma notícia sobre a investigação levada a cabo pelo SEPNA da GNR. Pode ver-se no seguinte link: http://aeiou.visao.pt//-begin-sttagtitle--a-classdred-bold-stylefont-size12px-displayblock-hrefgenplpstoriesopviewfokeyvsstories586737mata-do-bucaco-gnr-investiga-queixas-de-abate-ilegal-de-especies-fundacao-realiza-inquerito-internoa--end-sttagtitle-=f586737

Trata-se apenas da revista de maior publicação e venda nacional, reconhecidamente séria e interventiva. Será que António Jorge não percebe que está mais que a prazo e que as suas contas de durar na presidência da Fundação pelo menos o tempo suficiente até às próximas autárquicas (será certamente o candidato PS!) podem sair-lhe furadas?
Será que não sabe que está rodeado de gente sem experiência e altamente incompetente para fazer a gestão de uma mata com estas características?

Raul Aguiar e Anabela Bem-haja na gestão florestal da Mata é um insulto a todos os directores, guardas florestais, trabalhadores dedicados, frades carmelitas que ao longo destes séculos geriram, plantaram, cuidaram, replantaram e voltaram a cuidar para que chegasse até nós esta pérola. Mas assim, é como dar pérolas a ......!


Mata Nacional do Bussaco - GNR continua a investigar abate de árvores e já fez acareação

“Continuamos a investigar. Pedimos, na semana passada, parecer a entidades especializadas, ligadas à proteção e defesa do ambiente e só quando tivermos esses resultados podemos atuar com autos de contra-ordenações”, declarou, ao Jornal da Mealhada, o capitão Paulo Serra, do Destacamento Territorial de Anadia da Guarda Nacional Republicana, sobre o abate de árvores no interior dos muros da Mata Nacional do Bussaco, realizado no final do ano de 2010, e que tem provocado contestação em vários fóruns, contra a decisão da Fundação Mata do Bussaco.
Na passada segunda-feira, 17 de janeiro, a Guarda Nacional Republicana promoveu uma acareação – confronto entre duas ou mais pessoas que têm declarações contraditórias –, no sentido de apurar se houve ou não corte de espécies protegidas e de apurar algumas questões que estariam em aberto. Na referida acareação, estiveram presentes o madeireiro responsável pelo corte, a engenheira técnica florestal da Fundação Mata do Bussaco e, ainda, Jorge Paiva, botânico e professor na Universidade de Coimbra, especialista conceituado na matéria.
António Jorge Franco, presidente da Fundação Mata do Bussaco, na terça-feira, 18 de janeiro, ao Jornal da Mealhada, confirmou a realização da acareação e declarou: “Assim que o inquérito estiver concluído, a comunicação social será a primeira a saber do seu conteúdo”. O presidente da Fundação acrescentou: “Somos os maiores interessados na realização deste inquérito e no apuramento de toda a verdade, total e completa”.
Lembramos aos nossos leitores, que em declarações ao nosso jornal, António Jorge Franco, presidente da Fundação Mata do Bussaco confirmou o abate de 107 pinheiros e de acácias de grande porte, nas zonas do Serpa e do Pinhal do Marquês, no interior dos muros da Mata Nacional. Deu conta, ainda, de que o abate de pinheiros doentes e acácias de grande porte se trata de uma medida prevista no Plano de Ordenamento de Gestão da Mata, e confessou não estar contente com o trabalho do madeireiro, garantindo o apuramento de responsabilidades de algum problema que tenha havido. O Jornal da Mealhada sabe que outras espécies – garantidamente azevinho e possivelmente medronheiro e sobreiro – também foram negligentemente cortadas.
O presidente da Fundação deu conta de que a estratégia de reflorestação das zonas onde se deu o abate das árvores será antecipada e que serão tidas em conta todas as medidas que impeçam a proliferação de espécies infestantes, como a acácia.
Entretanto, o coro de protestos contra o abate das árvores no interior da Mata não abranda. À redação do Jornal da Mealhada chegaram, durante a passada semana, vários contactos de pessoas manifestando o seu protesto contra o que apelidam de "crime ambiental" e, ainda, de alguns antigos guardas florestais que trabalharam na Mata Nacional e que garantem serem dramáticas as consequências de algumas medidas que os serviços técnicos florestais da Fundação estão a levar a cabo, nomeadamente nas zonas do Serpa e do Pinhal do Marquês e no Vale dos Abetos.




Comentários





Julia Maria Silva - 2011-01-20
Acabei de tomar conhecimento do que está a acontecer na Mata do Bussaco. Lamento profundamento que tivessem tirado os guardas florestais. Dá pena vêr o abandono da Mata, será que querem acabar com ela de vez?



in:http://jornaldamealhada.com/index.php?tipo=3&link=116&id_conteudo=1856

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Primeiro fazem o esterco, depois os outros que limpem.

SAL participa em limpeza e reflorestação da Mata do Bussaco
2011-01-19


"A Sociedade da Água de Luso vai participar numa acção de limpeza e reflorestação da Mata do Bussaco, que se realiza no dia 21 de Janeiro, com início ás 8h30 e que contará com todos os colaboradores da empresa.
O objectivo desta iniciativa da Fundação Mata do Bussaco é efectuar a limpeza e reflorestação de uma área específica da Mata Nacional do Bussaco, através da remoção de espécies infestantes e da sua substituição por plantas autóctones, com especial destaque para azevinho, carvalhos nacionais, cedros do buçaco, castanheiros e sobreiros.
Com esta acção, que conta com o apoio da Fundação LUSO e da Fundação Floresta Unida, prevê-se a limpeza de uma área de aproximadamente 30.000 m2, onde serão plantadas cerca de 1000 árvores.
Esta iniciativa é mais um dos compromissos da SAL para garantir à população da região uma maior qualidade de vida."


Aplausos para a disponibilidade da SAL e dos seus colaboradores. Aposto que vão por esta gente a limpar a estupidez que fizeram na mata, fruto da incompetência da engenheira florestal que lá faz umas horas por semana. É pena que as pessoas estejam a ser usadas para aqueles incompetentes fazerem figuras na imprensa.
É o show-off e o propagandismo à custa do trabalho dos outros.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

O VERÃO APROXIMA-SE .......


Espero que no meio desta confusão toda, não se esqueçam de fazer a limpeza dos restos das ramadas e tentar controlar as espécies propicias a incêndios.
Depois não digam que não se lembraram ou que não queriam mexer na orgânica da NOSSA mata.

Presidente da Fundação Mata do Bussaco dá razão a quem o critica

O Presidente da Fundação Mata do Buçaco confirmou esta semana o que todos nós já sabemos. A mata do Buçaco está entregue a um bando de brincalhões. Voluntariosos, mas desgraçadamente incompetentes.
Mais ainda, tentou passar um atestado de estupidez a todos quantos leram o jornal e ao próprio repórter porque, não sendo matéria do domínio comum, as pessoas não estão bem informadas e acreditam na palavra de quem, supostamente, e considerando a responsabilidade que tem, deveria dizer a verdade aos cidadãos. No entanto, parece que não é assim.
Em declarações ao Jornal Mealhada Moderna, António Jorge identifica o Nemátodo como a causa que esteve na origem do abate de 107 pinheiros na Mata. A frase á seguinte: "Explicando o corte de árvores que está a ser feito na Mata do Buçaco, o presidente da Fundação, António Jorge Franco, explicou que as árvores apresentavam diminuição no fluxo de resina bem como descoloração da copa e outras mesmo que apresentavam a copa já seca e murchidão das agulhas, sintomas esses que apereceram a partir do meio do Verão, tornando-se mais evidentes nos meses de Outono. Uma avaliação que foi feita por uma equipa com qualificações para o fazer."

Primeira pergunta:
Quem foi essa equipa e quais as suas qualificações?

Segunda pergunta:
Quer exlicar às pessoas como é que esta "equipa com qualificações" conseguiu ver que as árvores apresentavam diminuição do fluxo de resina?

É que este aspecto só é observável quando as árvores são resinadas, ou seja, quando lá têm o púcaro ou o saco plástico à cinta para onde a resina vai vertendo. A questão, Sr. Presidente da Fundação, é que o Buçaco NÃO TEM PINHEIROS RESINADOS, ou seja, não há extracção de resina. Consequentemente, essa avaliação não poderia realizar-se e, portanto, a afirmação é falsa!

Bem se vê, é nas pequenas coisas que se apanham os incompetentes, os mentirosos, os que sabem a asneira que fizeram mas não são capazes de tomar a atitude correcta. Demitir-se ou demitir quem esteve por trás desta miserável actuação na NOSSA Mata.

Para quem quiser esclarecer-se, basta ir até às áreas da intervenção catastrófica na Mata e verificar que o chão está atapetado com um uniforme mando de rama de pinheiro completamente verde. Segundo as declarações de António Jorge, era suposto não haver ramagens ou que estas fossem amareladas. Mas não! É rama verde, cheia de resina que brota ainda abundantemente dos próprios troncos cortados.

A internet, senhor presidente, pode ser um precioso auxílio. Mas, como todas as ferramentas, não basta pegar-lhe, há que saber usá-la! A rasteira está em quando alguém não sabe e vai lá buscar a infomação, escarrapachando-a depois tal e qual ela vem, sem qualquer filtro, sem a adaptar à realidade. Parecem os trabalhos de grupo que chegam às mãos dos professores, escritos em português do Brasil. Depois queixam-se que levam negativa e uma grande reprimenda. Mas a culpa é dos pais que não lhes prestam atenção e deixam os putos à solta, sem apoio e supervisão. O Estado português nunca foi bom pai e agora entregou a jóia, assim...

Termino, deixando alguns links onde TODOS poderão esclarecer-se melhor sobre esta doença. Pelo acesso à informação.
No primeiro link, consultem o separador do pinheiro-bravo e vejam a quantidade de doenças de que o pinheiro pode padecer. No segundo, a leitura é mais directa e interessante, sobretudo quando fala de árvores resistentes. Pois é, há árvores que resistem... menos à motosserra e ao interesse no dinheirito para pagar os ordenaditos.

http://www.esac.pt/cernas/nematodo_apresentacoes/Isabel%20Abrantes_O_que_%C3%A9_o_nematode.pdf

http://www.anefa.pt/site/pdf/revista_2.pdf (págs 5 e 6)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Lusoliva - Sempre a colaborar


Centro de Estágios de Luso - “Vai um salgadinho?” é a primeira oficina de 2011




“Vai um salgadinho?” é a terceira Oficina de Educação Ambiental 2010-2011 – projeto da Câmara Municipal da Mealhada –, que se vai realizar no próximo sábado, dia 15 de janeiro, das 14h 30m às 17h 30m, no Centro de Estágios de Luso.
A actividade, que tem como monitoras Joaquina Carvalho e Adelaide Batista, consiste na confeção de salgados tradicionais. O público-alvo são as crianças, a partir dos seis anos de idade, os jovens e os adultos.
Lembramos os nossos leitores que a marcação prévia na oficina deve ser feita cinco dias úteis antes da oficina através do numero de telefone 231 200 980, do correio eletrónico ambiente@cm-mealhada.pt e-ou na Biblioteca Municipal da Mealhada ou na Câmara Municipal da Mealhada. O preço da inscrição é de dois euros.



Data Publicação: 2011-01-15
Autor:
JM


Quase que aposto que o difícil foi explicar às crianças que o fedor da fábrica logo ali ao lado, não faz parte da receita dos salgadinhos... digo eu...

A opinião de Jorge Carvalho, Secretário da Junta da Freguesia de Luso.

"Tenho observado que, ultimamente, pessoas com quem falo andam muito perturbadas e não têm as suas ideias em ordem. Muito se tem falado sobre o abate de árvores na Mata do Buçaco que, no meu entender, de forma alguma, não foi feita com a sapiência e o cuidado que tão melindrosa intervenção mereceria. É por isso que o homem, quantas mais ideias tiver, maior será a sua confusão.

Lembro-me do saudoso ZÉ DA MATA e do meu falecido tio ANTÓNIO SIMÕES que, quando chegava o Natal, me diziam:

- Jorge, só podes tirar musgo, para o teu presépio, das pedras do Vale dos Fetos!

Também nunca mais esquecerei o azevinho que o FERNANDO GALANTE colocou na sepultura do meu filho, no Natal de 1997, proveniente da nossa querida Mata.

Há pessoas que entraram com o pé esquerdo aquando da Fundação da Mata do Buçaco. Os mais supersticiosos dirão que a História se repete, desde que, ao chegar à Pampilhosa, em 18 de Maio de 1886, Dona Maria Amélia Luísa Helena de Orleães, segundo as crónicas de altura, teria descido do comboio com o pé esquerdo.

Da sua vasta obra em Portugal salienta-se, em 1892, a fundação do Instituto de Socorros a Náufragos. Até parece que a última Rainha de Portugal nos está a avisar do Naufrágio da Mata do Buçaco, porque o dinheiro que o Estado lá injecta não chega para pagar os ordenados dos novos Duques e Duquesas.

Aguardemos!"


Quanto a mim, pergunto-me se não será já demasiado fumo para a Câmara Municipal não achar que há fogo....

Ainda Sobre o abate de árvores do Bussaco

DE: mnbusco


Caros companheiros conforme o solicitado envio este mail
acompanhado de texto para possível publicação.

“Mealhada: Fundação desconhece atentado ambiental no abate de árvores no Bussaco


Fundação desconhece que o abate de árvores doentes tenha configurado qualquer crime ambiental. GNR investiga queixa, Quercus pede esclarecimentos



Resultado de uma acção concertada e tecnicamente supervisionada por “especialistas avalizados”, a Fundação Mata do Bussaco procedeu ao corte de 107 árvores no perímetro da Mata, numa operação que decorreu durante o mês de Dezembro e que foi terminada nos primeiros dias de Janeiro.
A verdade é que a operação está a gerar alguma polémica, que resultou de queixas que chegaram às autoridades policiais, especialistas e associações ambientalistas, denunciando que o abate das árvores poderá alegadamente ter configurado um crime de natureza ambiental. As denúncias referem o abate de espécies protegidas e também numa operação que terá colocado em risco a preservação de outras espécies. Situações a que António Jorge Franco, presidente da Fundação Mata do Bussaco, responde afirmando que “não tenho conhecimento que a operação de corte de árvores possa ter configurado qualquer crime ambiental”.
Por outro lado, ao Diário de Aveiro, o dirigente confirma que já foi contactado pelo Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) da GNR, em resultado de uma queixa que foi apresentada nas autoridades, a este propósito. “Dei os esclarecimentos que me foram solicitados e continuo a julgar que a acção que fizemos foi feita de acordo com todas as instruções técnicas que foram dadas, mas também já me falaram que pode ter sido cortado um azevinho, mas se o foi, não foi por indicação nossa, quem o fez, não sei, mas terá que ser responsabilizado por isso”, entende o responsável.

(Ler artigo completo na edição em papel)
António Jorge Pires”

In:http://www.diarioaveiro.pt/main.php?mode=public&template=frontoffice&srvacr=pages_13&id_page=9371



Informação ao sr. Presidente e técnicos da Fundação Buçaco, que deveriam ter acompanhado o corte. Foram seguramente mais de 20 (vinte) azevinhos (Ilex aquifolium) mais de 5 sobreiros (Quercus suber) medronheiros (Arbutus unedo) e outras espécies, O que demonstra o bom acompanhamento efectuado.

Sr Presidente deixo um conselho.

Deve demitir os seus técnicos ou demitir-se o senhor.

Esta Mata não quer um cargo politico, mas sim um técnico credenciado e responsável.

Novo Grupo do Facebook sobre o Bussaco

Ora lá está... a Fundação Mata do Buçaco, ao negar a possibilidade de comentário directo ao seu perfil de Facebook, originou uma reacção adversa:

http://www.facebook.com/home.php?sk=group_134830486577754&ap=1#!/home.php?sk=group_134830486577754

Com 110 membros (hoje), o grupo "Fundação Mata do Bussaco está a acabar com o Bussaco!" pode revelar-se um problema grave para a imagem da Fundação, dos seus membros e das suas acções.

Se a Administração da Fundação e a Câmara Municipal da Mealhada não tomarem atempadamente medidas que possam ir ao encontro das expectativas das populações, arrisco-me a dizer que lhes vai acontecer a mesma coisa que à REGIE.


sábado, 15 de janeiro de 2011

Comentários no Jornal da Mealhada (não anónimos)

Comentários


In JM

Diana Castanheira - 2011-01-14
Esta situação deixa-me profundamente triste e magoada pela consideração que certas pessoas têm a um património nacional e único. Ao ler as declarações do Sr. António Jorge Franco, fico revoltada com tal atitude. Sugiro a todos a leitura do Plano de Ordenamento e Gestão da Mata do Buçaco de forma a comprovar tudo o que este responsável diz (já que todas as suas justificações se baseiam neste plano). Lamentável não são as denúncias anónimas mas sim a falta de seriedade na preservação e conservação deste espaço natural.

Nelson Santos - 2011-01-12
Realmente o pior foi o fio da rede eléctrica que caiu.... que miséria... e quanto ao corte das arvores do patamar superior do vale dos fetos? estou a ver que continuamos a jogar areia para os olhos das pessoas. E o charco que contorna um candeeiro mesmo atras da sede da fundação? Só é arranjado quando alguem for electrocutado?

Pesquisando no Google pessoas famosas da nossa terra:


Algumas pessoas, dizem não se preocupar com o que se passa nos blogs locais. Dizem eles que não é importante mas, já pesquisaram o seu próprio nome no Google?

Bom... vejamos os resultados exclusivamente relativos a posts do Amo-te Luso que aparecem nos primeiros 10 resultados (normalmente os únicos que o pessoal lê):

- "Dr.Carlos Cabral Mealhada" - 2º Lugar
- "Drª Filomena Pinheiro Mealhada" - 16º Lugar
- "Engº António Jorge Franco" - 1º Lugar
- "Gonçalo Breda Marques" - 8º Lugar
....
(entre outros) - (experimentem fazer com outros nomes e vão ver os resultados)

E estes "nomes" não se preocupam com o facto de alguém em Lisboa, de repente resolver saber quem é "fulano tal..." e relaciona-lo com determinado local...? Ou às tantas, acham que ninguém lhe ocorrerá fazer tal pesquisa? Ou, na volta, recusam-se a ver que o tempo não volta para trás e que as pessoas "googlam" tudo e mais alguma coisa?.... duvi-de-o-dó...

Onde há fumo, há fogo! Posts escritos em blogs locais mas com grande número de visitantes aparecem em primeiro lugar nas pesquisas: é assim que trabalha o Google.

Se a imprensa escrita é o 5º Poder, a Internet assumiu definitivamente o papel de 6º poder e... tem uma vantagem: não é possível de dominar por nenhuma classe, corporação, ou partido.

Numa altura em que jovens que, viveram toda a sua educação com a presença da quotidiana da internet, começam a representar uma fatia interessante do eleitorado, aqueles que menosprezam o seu impacto NET na imagem, em especial se dependem de cargos de confiança política, irão necessariamente sofrer as consequências do seu raciocínio.

Touché.............

Contra factos....

"Quando se assume a responsabilidade de gestão de um espaço sem ter corpo técnico, meios Humanos e materiais adequados, quase sempre a coisa corre mal.

Melo Figueiredo e sua equipa, principalmente os 9 ou 10 guardas florestais, que na pratica, orientaram os trabalhos, conseguiram levar a cabo um trabalho exemplar na recuperação do ciclone de 1955, em que esta mata perdeu 75% da sua colecção dendrológica."

mnbusco disse... em 14 de Janeiro de 2011 19:51

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Aguardamos!...