domingo, 2 de janeiro de 2011

A verdade da mentira!

A verdadeira história da criação da FODAÇÃO BUÇACO:

1 - 2009, ano de eleições autárquicas.
2 - eleições na concelhia do PS da Mealhada.
3 - Marqueiro ganha. Cabral perde.
4 - Sócrates afirma que os presidentes de Câmara em exercício que pretendam recandidatar-se terão primazia.
5 - Cabral passa a candidato às autárquicas. Mas, para não haver (mais) "chatice" no PS da Mealhada, definem uma estratégia de lista única das duas facções Cabral/Marqueiro. Os nºs 1,2 e 4 da lista são procedentes da lista de Cabral (respectivamente, Cabral, Filomena e Calhoa) enquanto que os nºs 3 e 5 são da lista de Marqueiro (Júlio Penetra e Arminda Martins).
6 - O vereador bombeiro - António Jorge - , nº3 na lista de Cabral, fica sem lugar. É preciso recompensá-lo pela dedicação anterior, pela humilhação de perder o lugar e porque é um Boy do PS.
7 - António Jorge faz um número político ao anunciar publicamente nos 3 pinheiros, que não tenciona continuar na vida pública pois é Engenheiro Civíl e os cargos públicos ocupam-lhe grande parte do tempo, levando à sua desactualização enquanto profissional do cimento. Esta foi a desculpa esfarrapada que encontraram para atirar areia para os olhos dos eleitores do concelho da Mealhada.
8 - Em Maio de 2009, é criada a Fundação Buçaco.
7 - Para se ter uma noção dos diferendos internos, refira-se que Jorge Carvalho, ao saber da possibilidade de António Jorge vir a ser o presidente da Fundação, indica publicamente outro nome.
9 - Em Junho é anunciado o nome de António Jorge como presidente da Fundação.
10 - Em 02/01/2011, continuam as iniciativas de faz de conta e os cortes selvagens de pinheiro-bravo e outras árvores na Mata. Uma atrocidade, um crime, um acto de selvajaria que, em 150 anos de gestão dos serviços florestais nunca se ousou sequer pensar!

14 comentários:

D'artagnan disse...

Venús, tirando a parte da brincadeira entre "Fundação" e "Fodação" cujo bom gosto não se vislumbra e que acaba por distrair quem lê, do real tema do post, gostava de fazer alguns comentários:

1º - Não me parece que o AJF seja parte do problema. É uma pessoa geradora de consensos tal como é requisitado num cargo de presidência... já o resto da equipa parece ter de ser reorganizada para voltar a conseguir ganhar jogos... tal uma chicotada psicológica dê uma ajuda.

2º - É óbvio para todos que houve aqui uma dança política com traços de maquiavelismo. Acontece em todas as Repúblicas das bananas e esta parte de Portugal ainda não é independente.

3º - O seu post e a sua irritação, é apenas a ponta do IceBerg. As pessoas (pelo menos no Luso), começam a comentar o seu incómodo sobre o que tem acontecido no Bussaco.... apesar de ainda o fazerem a medo e apenas no seio de certos grupos... como se tivessem medo de represálias como noutros tempos....enfim

Jihad disse...

É muito triste ver os comentários de pessoas anónimas por essa net fora, narrando as suas visitas recentes ao Bussaco.

Hoje, tive o privilegio de ouvir uma em primeira mão, de alguém que não pode ser conotado (por ser verdadeiramente "de longe") com a escumalha política deste triste concelho.
É muito, muito triste ouvir uma tal imagem descrita por alguém que nunca conheceu aquele património como deve ser.

Podemos dizer basta!
Vejam só a odisseia desta senhora contra a ENSITEL por causa de um telémovel! Vejam como a comunidade online se uniu e, fora criancices, deu uma ajuda fundamental para vergar a vontade de um grande grupo do retalho electrónico (http://aeiou.expresso.pt/ensitel-enxovalhada-nas-redes-sociais=f623158 ).

O que é que vamos fazer? Ideias precisam-se...

Jihad disse...

O final da história do telémovel!
http://jonasnuts.com/tag/ensitel

Ana Sampaio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Sampaio disse...

Hoje, recebi do Gabinete de Estágios da UBI, o e-mail que se segue:

Rogério Emanuel Palmeiro
Gabinete de Saídas Profissionais / Career Management Center
Universidade da Beira Interior / University of Beira Interior
Rua Mârques Ávila e Bolama, 6201-001 Covilhã, PORTUGAL
Tel.: +351 275329254
Fax: +351 275329253
estagios@ubi.pt
http://www.ubi.pt/Entidade.aspx?id=GSP


A Fundação Mata do Buçaco, pessoa colectiva de direito privado e utilidade pública, foi criada através do Decreto-lei 120/2009, de 19 de Maio, com o objectivo de gerir de forma integrada o património florestal, histórico, cultural e religioso inserto na Mata Nacional do Buçaco e os respectivos estatutos.

A missão da Fundação Mata do Buçaco passa também pela preservação do seu importante património e desenvolver as suas diversas potencialidades, tendo como objecto principal: a conservação do património natural e cultural, a investigação florestal, a educação ambiental e as actividades turísticas e de lazer.

O Conjunto Monumental do Buçaco, classificado como Imóvel de Interesse Público em 1996, é, a todos os títulos, notável: ao Convento de Santa Cruz, classificado desde 1943, juntam-se as ermidas de habitação, as capelas de devoção e os Passos que compõem a Via-sacra e, ainda, a Cerca, as Portas, o Museu Militar e o monumento comemorativo da Batalha do Buçaco, os cruzeiros, as fontes e as cisternas, os miradouros, as casas florestais e os trilhos, bem como o Palace Hotel.

A Mata tem igual diversidade: apresenta uma florestação muito diversificada, de grande riqueza biológica, e conta com espécies raras, áreas ajardinadas, o Vale dos Fetos e o Vale dos Abetos, os lagos e um arboreto com mais de três séculos e meio de existência.

No sentido de apoiar o funcionamento de determinadas áreas de trabalho da Fundação Mata do Buçaco considera-se importante a colaboração com escolas de forma a protocolar estágios curriculares.

A colaboração de estagiários é essencial uma vez que o estágio curricular faz parte de um processo de aprendizagem indispensável a um profissional que deseja estar preparado para enfrentar os desafios de uma carreira.

São indiscutíveis os benefícios e vantagens desta experiência quer para o estagiário, para a escola e, ainda, para a entidade de acolhimento.

Neste sentido, apresento a disponibilidade da Fundação Mata do Buçaco para acolher estagiários em várias áreas, nomeadamente: florestal, jardinagem, administrativo, contabilidade, marketing e publicidade, relações públicas, comunicação e imagem, turismo, desporto e lazer, animação, entre outras de relevante importância.

Sem outro assunto agradeço, desde já, a colaboração e a atenção dispensada.

Com os melhores cumprimentos e votos de um Feliz Natal,
Liliana Duarte, Dr.ª


--
Liliana Duarte, Dr.ª | Técnica Superior de Turismo e Lazer
Fundação Mata do Buçaco | Mata do Buçaco | 3050-261 Luso
telef: 231 937 004
telem: 963 007 857
turismo@fmb.pt
www.fmb.pt


"Venha Viver um Natal Diferente" - NATAL NA MATA
A Fundação Mata do Buçaco convida a viver um Natal diferente na Mata Nacional do Bussaco.
A iniciativa "Natal na Mata" realiza-se de 17 de Dezembro a 08 de Janeiro e promete trazer muita animação, magia e surpresas para toda a família.
Presépio ao Vivo, o cadeirão do Carmelita Descalço, oficinas de artes manuais, sessões de contos e de exibição de filmes, exposições sobre o Natal e muito...muito mais...na Mata Nacional do Bussaco. A não perder!!
Toda a programação em www.fmb.pt


________________________________________

UBI amiga do ambiente: Antes de imprimir este e-mail pense bem se tem mesmo que o fazer. As árvores são um bem imprescindível.

D'artagnan disse...

Ana

Os estagiários são importantes, mas sem equipas de permanentes de especialistas "a sério", torna-se mais difícil obter bons resultados. Também sei que isso é muito difícil sem dinheiro e sem o Estado Central cumprir o que prometeu.... Parece-me que o Bussaco se encontra num beco sem saída e numa situação porventura pior do que aquela em que se encontrava antes de existir a FMB.

Jihad

Para que os movimentos de que falas obtenham resultados é necessário que as empresas tenham algo a perder para ceder. Neste caso trata-se do Estado e da CMM e as eleições ainda estão longe... pode ser que mais perto das eleições se consiga um maior índice de pressão.

Ana Sampaio disse...

A minha intenção não era defender a FMB, antes pelo contrário, se eles não têm uma equipa capaz como é que podem formar bons profissionais? O que eles querem é mão-de-obra gratuita!

D'artagnan disse...

ok

KaMiKazE disse...

Vamos lá fazer a puta da revolução! Estamos à espera do quê?! Falamos todos muito, temos de reagir no terreno e mostrar-lhes que não estamos satisfeitos com o que tem vindo a acontecer, temos de ir à luta contra toda esta imundice a que a nossa mata está sujeita...

BASTA!!!

Partamos todos juntos para a revolução!!!

UMA MANIF. PARA QUANDO??

pirandello disse...

"Beleza, sonho, encanto
Floresta da minha paixão.
Onde entoo o meu canto
Símbolo da minha afeição."

Este verso foi retirado de um poema que foi recentemente a concurso escrito por um ilustre lusense, o Sr. Jorge Carvalho.
Será que tem conhecimento do vendaval que por lá está a passar? já não vai lá cantar? E a paixão, esmoreceu?

D'artagnan disse...

Gostava de relembrar que neste assunto, o Jorge foi e é um dos bons elementos da face positiva da medalhada... lá porque milita no PS isso não faz dele, nem de outros responsáveis do PS que sempre pugnaram por fazer as coisas de outro modo, culpados no actual estado das coisas.

Não vale a pena procurar bodes expiatórios para um problema de estrutura cuja solução NUNCA será fácil.

Vénus disse...

D'artagnan, parece-me que quem puxou o Jorge Carvalho ao barulho não se quis referir a ele como mebro do PS mas sim como cidadão do Luso e que, por acaso, até tem responsabilidades políticas. Mas não seria esse o mote da questão.

pirandello disse...

Meu caro, os responsáveis desta malfeitoria já nos sabemos quem são. A questão tem a ver com a gestão dos silêncios, e estes, já se estão a tornar demasiado ruidosos.

D'artagnan disse...

Vénus: ok, mensagem recebida!

pirandello: gostei dessa da "gestão do silêncio"... pode desenvolver isso mais a fundo num post? Agora fiquei curioso...