quarta-feira, 27 de agosto de 2008

"Praguntas" da Renata Vanessa


"Papá ?!!... Papá ?!.... Porque é que com tantos especialistas em turismo e hotelaria, o Luso nunca sai da cepa torta ??????!!!!"

13 comentários:

Pedro Costa disse...

Porque se calhar ninguém os leva a sério.
Em Portugal toda a gente acha que sabe de turismo, principalmente os políticos.

Estrangeiro disse...

Provavelmente,as pessoas do Luso não se esforçam o suficiente para que esta terra que considero fantástica, melhore um bocadinho todos os dias.

Exemplos:
1 - Abriu um bar engraçado que se chama PIPAS. Tem um vizinho que mesmo que esteja fora do Luso, telefona à 1.00h da manhã para a policia a dizer que nao consegue dormir com o barulho só porque não gosta do dono. Quem perde? O dono, claro, mas também o Luso porque qualquer pessoa que está num café a beber uns copos quando vê entrar pela porta da frente dois polícias a olhar para todo om lado se sente incomodada. Isto também é válido para a casa de chá e os seus amigos do costume.

2 - As pessoas querem obras, mas depois quando elas começam a ser feitas, criticam tudo e todos sem esperar para ver o resultado final. É certo que o timming nao foi o melhor e que o andamento é um bocado atartarugado mas também pesno que quem vem agora ao Luso e se sente incomodado, amanhã está cá para ver como é que ficou a obra afinal.

3 - Quantas unidades de bar/restauração (e hotelaria) do Luso é que aderiram à marca "4 maravilhas da mesa da mealhada"? Parece coisa insignificante? Este processo bem gerido tem mais pernas para andar do se julga.

4 - Amigos hoteleiros, disto sei pouco mas, não seria possível criar uma Central de Reservas "LUSO" / "LusoHoliday"? Algo que congregasse todas as unidades hoteleiras do Luso, expusesse a oferta e propostas de cada unidade e oferecesse um serviço integral de qualidade e prestígio a potenciais clientes, divulgada na net e outros canais habituais, abarcando assim todo o espectro de clientes que o Luso pode albergar?

5 - Porque é que numa terra como esta todas as pessoas parecem saber a solução para qualquer problema mas na hora de se chegar à frente para contribuir com a sua parte, ninguém dá a cara?

6 - Porque é que os Jovens cristãos que organizaram o AquaJovem no lago o ano passado, foram, alegadamente por uma pessoa da terra, acusados de ter pessoas a acampar - parece que eram 5 tendas - no recinto da escola primária e foi apresentada queixa na GNR. Alguma vez o Luso, na sua história recente, viu uma organização daquele nível e com os artistas que estiveram presentes?

7 - Os comerciantes do Luso poderiam organizar iniciativas para além da feira dos stocks - penso que até é uma iniciativa da ACIM, desculpem se estou a dizer asneira - que promovam a visita do Luso. Já temos alguém que organiza eventos de automóveis clássicos - ainda bem, embora falte dar outra dimensão à coisa e ao Luso - mas os comerciantes poderiam, juntos, promover algo que, não tendo propriamente a ver com a sua arte, trouxesse ao Luso pessoas que depois poderiam deixar uns euros pelas várias caixas registadoras. Sei que é dificil e que há mentalidades que nao se mudam. Também sei que muitas pessoas nao estao para se chatear quando depois quem nao trabalhou vai beneficiar de igual forma. Mas se nao se fizer nada penso que é pior.

Enfim, poderia falar de outros aspectos ainda como a necessidade de pressionar a CMM para que o PDM seja menos restritivo no Luso no que toca à área prevista para expansão urbana. Acreditem que é um sério problema. Não havendo área de expansão no PU, os imóveis que existem no Luso tornam-se demasiado caros e, no contexto actual, não há capacidade para comprar no Luso, vai-se para fora e, qualquer dia, estamos como a maioria dos centros urbanos das cidades - Caros, Velhos, Abandonados e Perigosos à noite.
(Já viram bem quantas casas velhas e carissimas estão no centro do Luso?)

Não me alongando mais fico por aqui, terminando apenas dizendo ainda que concordo inteiramente com a opinião dada pelo sr. Pedro Costa.

Pionés disse...

Até que enfim que alguém diz alguma coisa com nexo neste blog, sem ter que atacar ou ofender terceiros.

Assino por baixo

FontedeCastanheiro disse...

Efectivamente, concordo com tudo!

BURRIQUEIRO disse...

CONCORDO PLENAMENTE COM A MENSAGEM DEIXADA PELO COLEGA "ESTRANGEIRO". OS LUSENSES NAO SABEM O BEM QUE TÊM NA TERRA.
O LUSO SEMPRE FOI E SEMPRE SERA VISTA COMO UMA VILA TURISTICA E COM PESSOAS ESPECIAIS.
AINDA NAO PERCEBI COMO É QUE CONSEGUEM TER RIVALIDADE ENTRE TODOS, EM VEZ DE PENSAREM EM UNIR-SE PARA LEVAR O LUSO MAIS ALEM.
GOSTARIA DE VER AS PENSOES DE NOVO CHEIAS, COMO ERA ANTIGAMENTE. PESSOAS VINDAS DE TODA A PARTE DO MUNDO, PARA VER A MATA DO BUÇACO E A NOSSA VILA DO LUSO.
VAMOS LEVAR O LUSO PARA A FRENTE E NAO PARA O TERCEIRO MUNDO....

D'artagnan disse...

Os problemas do Luso resumem-se (a meu ver) a uma só coisa: falta de união.

BURRIQUEIRO disse...

CARO D´ARTAGNAN FAZENDO USO DE TEU NOME E DO "TEU" HINO. "UM POR TODOS E TODOS POR UM", É ISSO QUE FALTA NO LUSO.

dona chanfana disse...

Andamos andamos para voltar sempre ao mesmo. Daqui a uns anos estamos a discutir: "O futuro turístico do Luso e Buçaco, parte 214". Já falámos disto tudo neste blog e nos outros, já sabemos quem são as pessoas, já sabemos que até são algumas, para quando criar a tal da "taska force" para passar a menos conversa e mais acção?

BURRIQUEIRO disse...

CARA COLEGA dona chanfana, ATE UM PONTO DEVE TER RAZAO, EM ESTARMOS A SER REPETITIVOS. MAS POR OUTRO LADO NAO DEIXAMOS ESQUECER A QUESTAO EM CAUSA. NAO FICA NO ESQUECIMENTO.......... MAS A FALAR É QUE A GENTE SE ENTENDE. NÉ?

lua-de-mel-lua-de-fel disse...

Meus caros, o problema do Luso, como muitos outros locais, é que não há gente com dinheiro para investir na terra, que seria a única solução uma vez que temos os políticos que temos. Colocar a culpa para tudo e mais alguma coisa nos hoteleiros/comerciantes, que passam há anos por uma tremenda crise, é tapar o sol com a peneira e encontrar um bode expiatório muito fácil para a não responsabilização dos nossos políticos.
De turismo sei muito pouco, confesso, mas parece um erro estratégico colocar tudo na questão termal e confundir amiúde os problemas quotidianos do Luso com os do turismo. Ainda que sejam correlatos são diferentes. De facto, quanto mais atractivo e qualidade de vida tiver o Luso tornar-se-á mais apetecível, seja para visitar seja para viver, mas isto não tem que ver apenas, sublinho, com o turismo. Ou, pelo menos, com o turismo tradicional: temos de esquecer de uma vez por todas a ideia nostálgica e serôdia de que toda apopulação do Luso pode viver do turismo, como acontecia há décadas atrás. Mais do que hóspedes, precisamos de pessoas que se fixem no Luso, algo que só possível, como bem diz o estrangeiro, com uma correcta avaliação do PDM e não com a que existe, que se altera consoante sabemos que vontades.
Depois de termos pessoas, e com elas dinheiro em movimento e massa crítica, o caminho para o turismo será facilitado, parece-me. Obviamente, isto é um processo que demorará muito, como todos os processos que são sustentados.
Fala o estrangeiro das pessoas, da má vizinhança e da inveja. Não que não seja verdade, mas dá-me alguam urticária falar de culpas isoladas. As licenças dos bares são dadas pela câmara, a mesma que trata dos autos relativos ao barulho, a mesma que boicota, com preços absurdos, a actividade quer dos bares quer de empresas que se querem fixar no concelho e, ainda, de quem quer comprar casa. Isto é um problema político e não dos humores da comunidade.

D'artagnan disse...

Chanfana:

Estás mesmo a ficar velha. Não é parte 214, é parte 1214.

El Tonel disse...

1215?

BURRIQUEIRO disse...

1216???