segunda-feira, 23 de março de 2009

As quatro maravilhas vão passar a cinco !

Depois do sucesso (ou como se queira classificar) das quatro maravilhas: água, pão, vinho e leitão; surgiu agora uma nova especialidade no concelho da Mealhada: Sapo (feito de qualquer maneira desde que se engula)

Uma vez que o PSD faz questão em não contar para o poder autárquico, resta saber quais as consequências das decisões da comissão nacional do PS sobre os candidatos autárquicos, a saber-se:

- Havia mesmo necessidade de prescindir de um homem que prestou um excelente serviço ao concelho, como foi (e é) o Eng. António Jorge?
- Se o terceiro lugar na lista, foi atribuído à maioria local, condicionando-se como sendo do Luso, quem vai ser esse vereador: Júlio Penetra?
- Depois da tomada de posição dos presidentes de Junta a favor de Cabral (e da sua equipa sem modificações) como vão ficar as (re)candidaturas?
- Depois de tanta guerra, declarações e contra-declarações, vai haver "de facto" condições para que o novo executivo funcione devidamente ou, pelo contrário vai ser o "canto do cisne" do PS Mealhada?
- Quem é Miguel Felgueiras? Apenas um futuro bom candidato que se quer "queimar" ou um presente envenenado face ao relacionamento crispado que existe entre ele e Cabral?
- Quais as demissões (se houver coerência e carácter por parte das pessoas) que deverão acontecer imediatamente perante uma tão grande desautorização da vontade das bases?

- É este o conceito de democracia do PS, ou apenas uma maneira de não abrir um precedente que cultivaria ainda mais a guerrilha interna?

2 comentários:

Sandokan disse...

Certamente que o caminho para a felicidade não é fácil de encontrar. Porém, há uma frase célebre de Aristóteles com a qual eu concordo plenamente: "A felicidade é feita por nós próprios". Assim, se desejamos encontrar a felicidade, nós é que temos de construí-la, tentando criar um mundo (interior e exterior) que nos satisfaça mais verdadeiramente. É importante estarmos em harmonia connosco próprios, fazermos aquilo que gostamos, que realmente nos faz sentirmo-nos bem (como por exemplo: ouvir música, ler ou apenas relaxar), nem que seja, apenas, uma hora por dia, bem como estarmos rodeados de pessoas que nos confortam, que nos dão carinho e uma palavra amiga e tentarmos, ao máximo, fugir de ambientes que nos deprimem e nos stressam. Mas, não podemos estar passivamente à espera que a felicidade venha até nós ou que alguém a traga simplesmente. A receita para a felicidade é simples, nós é que a complicamos... É importante lutarmos pela nossa felicidade, mas, igualmente, pela dos outros, uma vez que da deles depende a nossa. Por isso, se não custa, assim, tanto ser felizes do que é que estamos à espera?! É que a vida é demasiado curta para sermos preguiçosos...

Tudo quer ser feliz e não perder o lugar. Acho muito bem.

D.Sebastião disse...

Julio Penetra...

ahahahahahahahahahahahahahahahaha... é de gritos.

Fantástico, simplesmente!

É de filme... de terror!

Grande anedota.... nada como uma piada de mau gosto pra nos por bem dispostos!