terça-feira, 3 de março de 2009

JORNAL DE NOTICIAS

03 Março 2009



Mata do Buçaco pode perder 1,3 milhões de euros

Obras de reabilitação têm de estar concluídas em Junho e ainda nem começaram
00h30m


JOÃO PEDRO CAMPOS

A Mata Nacional do Buçaco, Mealhada, corre o risco de perder 1,3 milhões de euros, do III Quadro Comunitário de Apoio, se não concluir obras até 30 de Junho. Autoridades esperam iniciar trabalhos esta semana.
Estão em causa um centro interpretativo, circuitos de visita, sinalização e recuperação de património degradado. Obras que não arrancam devido à falta de um documento formal da Direcção-Geral do Património (DGP) que viabiliza a cedência de umas garagens do Palace Hotel do Bussaco (pertença dos Hotéis Alexandre de Almeida) por troca com instalações da Autoridade Florestal Nacional. Se tal não acontecer até 30 de Junho, a verba terá de ser devolvida a Bruxelas. "A Secretaria de Estado do Turismo já se pronunciou favoravelmente, agora falta a DGP lançar o documento, sem o qual não podemos iniciar os trabalhos", contou, ao JN, o director regional de Florestas do Centro, Viriato Garcez, confirmando que a obra já está adjudicada a uma empresa de Matosinhos. Adianta ainda ter-lhe sido garantido que o documento chegaria rapidamente, pelo que acredita começar os trabalhos ainda esta semana. "Logo que tenhamos o papel avançamos com as obras", garante.
O espaço, actualmente pertencente aos Hotéis Alexandre de Almeida, vai albergar o centro de interpretação, obra considerada crucial na requalificação da Mata Nacional do Buçaco. Segundo Viriato Garcez, aquando do acordo de permuta de imóveis, a Alexandre de Almeida exigiu o documento da DGP a aceitar a troca. O director do Palace Hotel , Pedro Florindo, garante que, "assim que for dada a informação oficial, será cumprido o estabelecido".
A verba já esteve para ser devolvida em Dezembro, altura em que terminou o primeiro prazo de execução da obra, tendo sido conseguido o prolongamento por mais seis meses. Viriato Garcez está confiante que tal não se vai repetir. "Temos fé que conseguiremos o documento e a obra vai avançar a tempo", afirma, assegurando que os trabalhos demorarão cerca de dois meses.

3 comentários:

Yammallah disse...

Olha mandem-me o dinheiro a mim...
bem me fazia jeito para umas obras lá em casa, havia de fazer duas capoeiras e 3 currais com matadouro e os gajos de Bruxelas podiam ficar descansados que eu cumpria os prazos.. até um porco lhes dava. lolol

Jihad disse...

É uma filha-da-putice esta merda...Nas próximas eleições voto VIEIRA - O RESTO É LIXEIRA!!!

afroluso disse...

Estas notícias até me fazem ter saudades do Almirante Pinheiro de Azevedo:
BARDAMERDA para esta gente que nos desgoverna...
E ainda não têm vergonha; como se não bastasse o Cabral ainda teremos Cabral e Marqueiro, FONIX...